"No fundo de tudo há a aleluia." (Clarice Lispector)

quinta-feira, 31 de dezembro de 2009


Que a PAZ prevaleça na Terra!
2010

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

citação

" Faça a festa com todo o seu corpo, com todo o seu ser.
E tanto pior se lhe caem algumas penas.
Elas voltam a nascer!"

Sophie Chauveau
colagem/carmen

sábado, 26 de dezembro de 2009



NAMORADOS


O rapaz chegou-se para junto da moça e disse:
-Antonia, ainda não me acostumei com o seu corpo, com a sua cara.
A moça olhou de lado e esperou.
- Você não sabe quando a gente é criança e de repente vê uma lagarta listada?
A moça se lembrava:
-A gente fica olhando...
A meninice brincou de novo nos olhos dela.
O rapaz prosseguiu com muita doçura:
-Antonia, você parece uma lagarta listada.
A moça arregalou os olhos, fez exclamações.
O rapaz concluiu:
- Antonia, você é engraçada! Você parece louca.

Manuel Bandeira , Libertinagem

earthfriendlygardening.wordpress.com /.../

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009


Trabalho apresentado no 1° Movimento Cultural Interclubes
APESEC 2009

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

NATAL



NATAL
De repente o sol raiou
E o galo cocoricou:
- Cristo nasceu!
O boi, no campo perdido
Soltou um longo mugido:
- Aonde? Aonde?
Com seu balido tremido
Ligeiro diz o cordeiro:
- Em Belém! Em Belém!
Eis senão quando, num zurro
Se ouve a risada do burro:
- Foi sim que eu estava lá!
E o papagaio que é gira
Pôs-se a falar:
- É mentira!
Os bichos de pena, em bando
Reclamaram, protestando.
O pombal todo arrulhava:
- Cruz credo! Cruz credo!
Brava a arara a gritar começa:
- Mentira? Arara. Ora essa!
- Cristo nasceu! canta o galo.
- Aonde? pergunta o boi.
- Num estábulo! - o cavalo
Contente rincha onde foi.
Bale o cordeiro também:
- Em Belém - Mé! Em Belém
E os bichos todos pegaram
O papagaio caturra
E de raiva lhe aplicaram
Uma grandíssima surra.
Vinícius de Morais / Poemas Infantis
Imagem Monica Carretero

domingo, 20 de dezembro de 2009

Hoje nasce um menino

Na manjedoura estava calmo e bom.Era de tardinha e ainda não se via a estrela-guia. Por enquanto a alegria serena de um nascimento — que sempre renova o mundo e fá-lo começar pela primeira vez — por enquanto a alegria suave pertencia apenas a uma pequena família judia. Alguns outros sentiam que algo acontecia na terra mas ver ninguém via ou ao certo sabia.Na tarde já escurecida, na palha cor de ouro, tenro como um cordeiro, refulgia o menino, tenro como o nosso filho.Bem de perto a cara de um boi e outra de jumento olhavam. E esquentavam o ar com o hálito do corpo.Era depois do parto, e tudo úmido repousava, tudo úmido e morno respirava.Maria descansava o corpo cansado — sua tarefa no mundo e diante dos povos e de Deus seria a de cumprir o seu destino, e ela agora repousava e olhava a criança doce.José, de longas barbas ali sentado, meditava, apoiado no seu cajado: seu destino, que era o entender, se realizara.O destino da criança era o de nascer.Ouvia-se, como se fosse no meio da noite calada, aquela música de ar que cada um de nós já ouviu e de que é feito o silêncio. Era extremamente doce e sem melodia, mas feita de sons que poderiam se organizar em melodia. Flutuante, ininterrupta. Os sons como 15 mil estrelas. A pequena família captava a mais primária vibração do ar — como se o silêncio falasse.O silêncio do Deus grande falava. Era de um agudo suave, constante, sem arestas, todo atravessado por sons horizontais e oblíquos. Milhares de ressonâncias tinham a mesma altura e a mesma intensidade, a mesma ausência de pressa, noite feliz, noite sagrada.E o destino dos bichos ali se fazia e refazia: o de amar sem saber que amavam. A doçura dos brutos compreendia a inocência dos meninos. E antes dos reis, presenteavam o nascido com o que possuíam: o olhar grande que eles têm e a tepidez do ventre que eles são.Este menino, que renasce em cada criança nascida, iria querer que fôssemos fraternos diante da nossa condição e diante do Deus. O menino iria se tornar homem e falaria.Hoje em muitas casas do mundo nasce um menino.

Clarice Lispector/ 24/12/1971/ "A Descoberta do Mundo"

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Natal é...

...aniversário do Jesus.
A mãe dele é a Maria e o pai é o José.
Tem o Anjo.
Tem a vaca, o burrinho e outro bicho para esquentar o Jesus.
Jesus é assim: nasce morre, nasce morre, nasce morre.
O berço dele é de palha.
Os reis “mágicos” trazem presente pra ele.
Pra nós é o Papai Noel.
( Ana Bela, 5 anos)
Presépio: Artesão ceramista João Hayashi

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

"Haja tempo e saúde. Teimosia e alguma paciência, eu tenho. O que não me impede que eu me sinta solitário, cheio de dúvidas, com certezas cada vez menores."
( Carlos Scliar)